Bebendo com Fred Astaire

Leve, sutil, elegante – assim é o Buck’s Fizz, coquetel de champanhe com suco de laranja, também conhecido como Mimosa. O drinque é bebericado por Fred Astaire em O Picolino, um de seus maiores sucessos ao lado da eterna parceira Ginger Rogers

Por Walterson Sardenberg Sº

Fred-Astaire-edit
Fred Astaire: elegância, leveza e sofisticação (em qualquer ordem)

Todo mundo sabe que os ingleses e os franceses não falam a mesma língua. Embora já tenham falado: durante três séculos, a partir de 1066, a corte britânica só se comunicou em francês. Isso ocorreu porque, naquele ano, a ilha foi dominada pelo galês Guilherme, o duque da Normandia. Deste episódio, por sinal, surgiu a indissolúvel, embora muitas vezes velada, animosidade entre os dois vizinhos, separados por um braço de mar — e um braço de ferro.

Esta rivalidade aparece até no reino dos drinques. Tome-se o Buck’s Fizz como exemplo — e tome outro apenas pelo prazer, que ele merece. Assim os ingleses chamam este coquetel simples, composto, em geral, apenas de champanhe e suco de laranja. Basta, contudo, atravessar o Canal da Mancha — tratado pelos britânicos por English Channel (só pode ser provocação…) — e o drinque muda de nome. Torna-se Mimosa. Com esta grafia mesmo, em português, para aumentar ainda mais a confusão.

mimosinhaPassemos aos fatos. Em 1921, o barman McGarry, do Buck’s Club, de Londres, juntou 1/3 de champanhe brut e 2/3 de suco de laranja em uma taça própria para os espumantes. Pronto. O novo coquetel agradou às mulheres, pela leveza, e também aos homens, quando um deles descobriu que era um amigo de todas as horas — em especial, as horas de ressaca. Até hoje a receita perdura, com um dash de Granadine ou alguma outra mínima variação.

Voltemos à história. Quatro anos depois, o barman do Hotel Ritz, de Paris, alterou as proporções das doses, aumentando o poder alcoólico do coquetel — sim, Hemingway frequentava o bar, que hoje tem o seu nome, mas não foi consultado. O Mimosa é preparado com metade de champanhe e metade de suco de laranja. Sabe-se que o drinque foi assim batizado (no bom sentido do verbo) em homenagem a uma acácia australiana. Mas deve ter algum português nessa história. Ou seria um fazendeiro brasileiro, homenageando sua vaca predileta?

fred astaire ginger rogers
Com a parceira mais famosa, Ginger Rogers, em O Picolino (1935)

Seja como for, tanto o Buck’s Fizz quanto o Mimosa são drinques festivos. Costuma-se servi-los em casamentos, brunchs ou demais recepções alegres. Por isso, estes coquetéis harmonizam com o dançarino, cantor e ator (exatamente nesta ordem) Fred Astaire, um nome sempre associado à elegância, leveza e sofisticação (em qualquer ordem).

Ele degusta um Buck’s Fizz em O Picolino, o mais famoso dos dez filmes rodados em dupla com a atriz Ginger Rogers. Dirigido por Mark Sandrich nos estúdios da RKO, em 1935, o longa-metragem, o quarto da série, tem um enredo semelhante ao dos outros nove: Fred apaixona-se por Ginger, mas ela resiste aos seus assédios por vários números musicais, até descobrir que também está caidinha por ele. Dita assim, a narrativa parece simplória. Qual o problema? Este é um musical bem amarrado e, além disso, serve-se de algumas das mais aliciantes melodias de Irving Berlin, o gênio que começou a vida como garçom do Café Pelham, em Nova York.

Uma destas canções é a imortal Cheek to Cheek, iniciada com os versos “Heaven, I’m in heaven, and my heart beats so that I can hardly speak” (“O céu, estou no céu/ E meu coração bate tanto que mal posso falar”). Há uma inacreditável versão em português que começa com “Éden, estou no Éden”. Mas estranho mesmo é o título do filme no Brasil: O Picolino. O original, Top Hat, ou seja, Cartola, foi vertido em Portugal para Chapéu Alto; na Espanha, para Sombrero de Copa e na Itália, para Capello a Cilindro. Pelo visto, faz tempo que os tradutores de títulos, no Brasil, não falam língua nenhuma.

8012509229_0a8c1922e4_n

RECEITA DE BUCK’S FIZZ (OU MIMOSA)

Ingredientes

140 ml de suco de laranja

70 ml de champanhe brut (ou espumante seco)

10 ml de Grenadine

3 pedras de gelo

Cereja, folhas de hortelã ou rodela de laranja para decorar (opcional)

Modo de preparo

Coloque uma taça flûte na geladeira por 10 minutos. Despeje o suco de laranja no mixing glass (copo de misturas), junte o gelo e misture. Retire a flûte da geladeira, disponha dentro o suco de laranja e acrescente o champanhe gelado. Para finalizar, insira o Grenadine, lentamente, pela borda do copo. Sirva com a cereja e as folhas de hortelã da decoração.

As canções de O Picolino com Fred Astaire e outros bambas

*

Créditos das imagens: Fred Astaire (Reprodução), Vinheta Buck’s Fizz (Reprodução/Clipart), Buck’s Fizz (vxla/Creative Commons)

2 comentários sobre “Bebendo com Fred Astaire

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s