2

Cerveja Mea Culpa lança Preguiça, uma witbier para quem não quer saber de complicação

Dringue está de volta. Mas chega sossegado, brindando com a cerveja Preguiça, witbier delícia da Mea Culpa, própria para quem não quer queimar a mufa. Ou finge que está na miúda e andou só matutando na vida…

Por Sergio Crusco

13_MHG_cult_preguiça

Entra ano, sai ano, Dorival Caymmi continua dando pinta no Dringue, personificando a preguiça produtiva – fez pouco mais de 100 canções, todas obras primas

Voltar, encarar o tranco mais uma vez, botar na prática planos que até ontem eram sonhos, lidar com os dilemas do tipo “o que faço da vida?”, “quem sou eu?”, “onde estou?”, “para onde vou?”… Nada disso combina com decisões muito complicadas. Bom é recomeçar de mansinho, sem grandes solavancos. Não, solavanco ninguém quer.

Melhor abrir uma witbier, estilo belga de cerveja levinha, levemente perfumada, fresca. Nenhum aroma estrambótico para decifrar, nenhum papo que envolva grandes repertórios sensoriais. Fácil de beber, de entender e de gostar.

Continuar lendo

5

Conversa de bar

Bar é como praia, um endereço que indica nossa filosofia de vida, sinaliza nossos gostos e a nossa turma. No Rio ou em São Paulo, encontre a sua, escolha um dos cinco petiscos mais saborosos do cardápio e um bom drinque para harmonizar.  Damos umas receitas no final do post… e músicas, claro!

Por Cristina Ramalho

piraja_ambiente

Bar Pirajá, em São Paulo: imitando o borogodó carioca na terra da garoa

Aconteceu mesmo e virou manchete: quando Hitler mandou afundar uns navios na costa brasileira, em 1942, a vingança anti-alemã dos brasileiros foi imediata. Rapazes ilustres do Rio de Janeiro dos anos 40/50, como os jornalistas João Saldanha, Sérgio Porto e Sandro Moreyra, saíram apedrejando os bares alemães de Ipanema. O Bar Berlim, o primeiro deles, fechou rapidinho e só reabriria dois anos depois com a alcunha de Bar Lagoa – é, aquele mesmo, dos garçons mal humorados, e do privilégio de estar numa das melhores locações do Rio. O Rhenania também trocou de nome, fechou e se transformou no Jangadeiro, mais tarde o ponto predileto da Tônia Carrero, Drummond, do Jaguar e até do Carlos Lacerda.

Continuar lendo