2

Cerveja Mea Culpa lança Preguiça, uma witbier para quem não quer saber de complicação

Dringue está de volta. Mas chega sossegado, brindando com a cerveja Preguiça, witbier delícia da Mea Culpa, própria para quem não quer queimar a mufa. Ou finge que está na miúda e andou só matutando na vida…

Por Sergio Crusco

13_MHG_cult_preguiça

Entra ano, sai ano, Dorival Caymmi continua dando pinta no Dringue, personificando a preguiça produtiva – fez pouco mais de 100 canções, todas obras primas

Voltar, encarar o tranco mais uma vez, botar na prática planos que até ontem eram sonhos, lidar com os dilemas do tipo “o que faço da vida?”, “quem sou eu?”, “onde estou?”, “para onde vou?”… Nada disso combina com decisões muito complicadas. Bom é recomeçar de mansinho, sem grandes solavancos. Não, solavanco ninguém quer.

Melhor abrir uma witbier, estilo belga de cerveja levinha, levemente perfumada, fresca. Nenhum aroma estrambótico para decifrar, nenhum papo que envolva grandes repertórios sensoriais. Fácil de beber, de entender e de gostar.

Continuar lendo

3

Vedett Extra Ordinary IPA: para quem quer pular para o galho de cima

IPA_Display_EDIT

Vedett IPA em noite de gala

Há um papo curioso sobre transição no mundo cervejeiro (para mim, pelo menos). Mais ou menos assim: o paladar vai apurando, você deixa de achar graça nos estilos leves à medida que aprende a saborear os mais encorpados, lupulados, complexos.

Entendo o raciocínio, não vejo graça é na postura de quem ergue uma taça de India Pale Ale com o ar superior de quem já transitou pelas cervejas bobas e agora está num patamar mais nobre, olha para o resto da humanidade com cara above the clouds. Ouvi na noite de lançamento da Vedett Extra Ordinary IPA, em São Paulo, na Barbearia Corleone: “Fulano abandonou as cervejas de trigo (como se houvesse saído do rehab) e agora bebe IPA”. Outra: “IPA tá na moda porque é a cerveja dos hipsters”. Ha ha ha!

Continuar lendo