0

The Fine Art une música, coquetelaria clássica e os convidados especiais de Laércio Zulu no Anexo São Bento

Uma vez por mês o bartender Laércio Zulu recebe convidados para o The Fine Art, projeto que revisita coquetéis históricos e não tem repeteco. A nova festa acontece no dia 19 de abril e quem perder terá de esperar pelas próximas surpresas

Por Sergio Crusco / Fotos Leo Feltran

zulu_e_companhia

Laércio Zulu e seus convidados do próximo The Fine Art, Abelardo Oliveira e Sylas Rocha

Tá nas bocas, como diria Aracy de Almeida (que de tão homenageada por nós já virou patrona do Dringue). The Fine Art, a festa de música e coquetéis fantásticos bolada por Laércio Zulu no Anexo São Bento, em São Paulo, foi um sucesso já na primeira edição, que teve como convidado de honra o bartender Marcelo Serrano, criando drinques em parceria com o anfitrião. O plá do projeto, segundo Zulu, é reverenciar a coquetelaria clássica ocidental, período longo que se estende de 1860 até o começo dos anos 1960 e trá lá lá. Um século de alquimias, já pensou? E ainda música ao vivo com os melhores músicos de jazz sacudido da cidade.

Continuar lendo

0

Frigobar é o speakeasy à nossa moda

O Frigobar traz para São Paulo o clima dos speakeasies americanos, onde se bebia clandestinamente durante a época da Lei Seca. Coquetéis clássicos daquela era são revividos no bar quase secreto, onde é preciso ter senha para entrar

Por Sergio Crusco

speak-easy-abre-1

“Vai um dringue aí? Esse é só para a diretoria”

Tá na moda. Nas cidades mais sacudidas do mundo – Londres, Nova York, São Francisco – o último grito é arranjar um lugar bem mocozado, de preferência porão, montar um bar quase secreto e chamar o novo inferninho de speakeasy. Esses endereços procuram reviver a era em que o álcool foi proibido nos Estados Unidos, de 1920 a 1933, com o resgate de coquetéis clássicos e todo um jogo de cena bolado para o cliente se imaginar nos tempos da Lei Seca, manguaçando clandestinamente. Dá um barato diferente, isso dá. Continuar lendo

0

Uma noite de desafio com os top bartenders de São Paulo

Bambas da mixologia se reúnem na Brasserie des Arts para criar drinques com Ice Tropez, bebida à base de vinho e aroma de pêssego importada da França Por Sergio Crusco

imagem_release_365733

Beach Tropez: primeiro drinque criado com Ice Tropez por Marcelo Serrano

Sabe o que acontece quando alguns dos melhores bartenders da cidade se reúnem para um desafio? Uma evolução de sabores, um desfile de cores que lembra os tempos das competições de fantasias de luxo dos velhos carnavais. Mas aqui Clovis Bornay e Wilza Carla (o rei e a rainha da folia no tempo da vovó) não se estapeiam pelo primeiro lugar, nem voam plumas. É um encontro amistoso em que não faltam harmonia, suíngue, charme e simpatia. A movimentação dos bartenders no balcão é digna de bateria nota 10. E o resultado, para quem está do outro lado, um deslumbre: cada drinque, uma alegoria.

O desafio da noite é criar um coquetel com Ice Tropez, bebida à base de vinho branco e aroma natural de pêssego – uma espécie de Bellini com sotaque francês. O anfitrião é Frederic Renaut, gerente da filial paulistana da Brasserie des Arts, e o mixologista Marcelo Serrano, o mestre de cerimônias. Serrano já havia colocado no cardápio da Brasserie o drinque Beach Tropez (veja receita abaixo) e agora convida uma turma de bambas para criar novas alquimias. Continuar lendo